Commercial Entrevista Marcos Pereira SONAE MC Sourcing

Entrevista – Marcos Pereira (Head of International Sourcing and Commercial no Grupo Sonae MC)

Entrevistámos Marcos Pereira, responsável pelo departamento de International Sourcing and Commercial no Grupo SONAE MC, para conhecermos a estratégia de internacionalização da empresa.

Marcos Pereira ocupa, desde 2017, o cargo de Head of International Sourcing and Commercial no grupo Sonae MC.

Previamente, trabalhou vários anos em exportação, em especial em Angola, onde desempenhou funções de Sales Manager e Regional Manager África na Unicer Bebidas, S.A., atual grupo Super Bock, e de General Manager na Diageo.

1) Sendo a Sonae MC uma das maiores empresas portuguesas, de que forma pode contribuir para a internacionalização das PME portuguesas?

Acreditamos que podemos vir a atuar como uma plataforma de exportação, porque temos vindo a construir fortes parcerias com retalhistas, com a visão de encarar as suas prateleiras como a extensão das nossas. Isto implica a existência de uma gama de produtos competitiva, modelo financeiro e de gestão de cadeia de abastecimento robusto, respeitando os ativos do parceiro e obtendo em troca acesso às suas prateleiras.

Estamos disponíveis para vir a promover, de uma forma concertada junto dos nossos parceiros, um conjunto de PMEs nossas fornecedoras. Para além de já incorporarmos PMEs na produção das nossas MPs e por isso já a estarmos a exportar, acreditamos que existe espaço para fazer esse caminho com marcas de PMEs com forte aposta em qualidade e inovação.

Para que se materialize esta intenção, após seleção das PMEs com base no seu potencial exportador, deverá ser constituída uma apresentação das mesmas, incluindo caracterização da empresa e sua oferta e dados concretos sobre a nossa experiência com cada marca. Tal apresentação poderá ser promovida junto dos parceiros retalhistas, convidando-os a visitar as nossas lojas e respetivos produtores.

Acreditamos que podemos ajudar as PMEs sendo seus parceiros na internacionalização. Temos canais já explorados e validados em mercados internacionais, desta forma permitimos um acesso mais rápido ao cliente e outros parceiros de negócio.

2) É certo que muitas PME procuram trabalhar com a Sonae MC. Quais as características que mais valorizam nas PME?

Mais de 90% dos nossos fornecedores são PMEs, acreditamos que qualidade e inovação constituem fatores de sucesso.  Desafiamos os nossos fornecedores nacionais a tornarem-se mais inovadores e competitivos, apoiando-os de uma forma consistente e estruturada. A criação do Clube de Produtores Continente e a recente adesão da Sonae MC ao programa “Portugal Sou Eu” são bons exemplos disso.

Numa perspetiva exportadora, para além da inovação e qualidade, valorizamos o nível de serviço e também a flexibilidade produtiva dos nossos parceiros de negócio.  A adaptação da embalagem aos requisitos de mercado, bem como o cumprimento dos timings de entrega, são condições fundamentais para que se consiga despertar o interesse de players internacionais. Em plena globalização, em que os preços dos produtos são semelhantes, a diferenciação pela qualidade de serviço permite fidelizar os clientes e criar uma relação duradoura e de confiança.

3) No seu entender, quais as principais barreiras à exportação no vosso ramo de atividade? E como é que estas são endereçadas pela Sonae MC?

A existência de barreiras faz-se sentir ao nível alimentar onde diferentes hábitos de consumo e ausência de reconhecimento e notoriedade da marca Continente são fatores limitadores quando abordamos mercados para além da África lusófona e mercado da saudade. No âmbito não alimentar, o sucesso no desenvolvimento de gamas aplicadas em ambiente de retalho, mas desenvolvidas olhando para os líderes em cada categoria, são facto de enorme valorização pelos nossos parceiros retalhistas.

Tentamos minimizar estas barreiras estabelecendo fortes acordos de parceria, tendo acesso às prateleiras dos nossos parceiros e encarando-as como uma extensão das nossas. Apostamos na gestão da cadeia de abastecimento, tendo acesso a stock e vendas dos nossos parceiros permitindo gerir o reaprovisionamento de cada uma das lojas e beneficiando de ganhos de competitividade através da otimização logística e redução de nível de stock.

4) Qual a estratégia de internacionalização que a Sonae MC tem definida para os próximos 3-5 anos?

Através de uma estratégia capital light, a direção de wholesale pretende aumentar os acordos com parceiros retalhistas, onde para além da qualidade, competitividade e variedade de sortido, fornecemos gestão integrada da cadeia de abastecimento.

No que respeita ao não alimentar, alargaremos a nossa ação para mercados extracomunitários através da otimização do sourcing. O conhecimento que temos sobre a performance expectável das nossas gamas aleado ao profundo conhecimento da nossa plataforma de fornecedores, permite-nos ajudar os nossos parceiros a maximizar o seu investimento.

Baseado no parque de lojas potencial dos nossos parceiros, acreditamos que existe espaço para a implementação de marcas de fornecedor apostadas na qualidade e competitividade, que desejem explorar este canal de vendas.

5) Na sua opinião, quais os principais riscos geoeconómicos e políticos que enfrentaremos nos próximos meses?

Apesar de existirem algumas tensões e incertezas no plano político global, Portugal tem feito um trabalho importante de fortalecimento das boas relações com os seus principais parceiros económicos. Deste modo, vemos o contexto atual como favorável ao comércio internacional.

O principal risco será a desaceleração da economia europeia e abrandamento do consumo, mas acreditamos ter uma proposta de valor diferenciadora capaz de fazer face a períodos de menos otimismo.

Apostamos na diversificação geográfica da nossa carteira de clientes como principal forma de mitigação de riscos económicos e políticos.

6) Quais as características que os clientes internacionais valorizam nas empresas portuguesas?

Reportando-me apenas ao canal retalhista, âmbito da nossa atividade exportadora, para além da qualidade e competitividade, valorizam a capacidade de compromisso com um bom nível de serviço, sem o qual é impensável sustentar o crescimento do negócio.

7) Por último, que mensagem/conselhos gostaria de deixar aos empresários portugueses?

Sonae MC continuará a investir na criação de um forte canal de distribuição internacional, estando disponível e interessada em promover junto dos seus parceiros, marcas de fornecedor com qualidade e inovação. Acreditamos que através do nosso endorsement conseguiremos ajudar a marcas portuguesas a ir mais longe entrando em cadeias retalhistas onde por si seria difícil o acesso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s